FAEP promove evento de conscientização sobre o assédio nas empresas

Palestra foi realizada na faculdade, dia 2 de dezembro, pela empreendedora social e professora de Pedagogia e Teologia na FAEP, Edilaine Daniel

Realidade que, infelizmente, ainda permeia muitos espaços da sociedade, deixando uma marca indelével nas vítimas, o assédio é um problema que precisa ser cada vez mais abordado e combatido com urgência. De acordo com uma pesquisa recente da IAUDIT, empresa especializada em auditorias, canais de denúncias e compliance com mais de 20 anos de experiência, assédio moral, abuso de poder, agressão física e desvios de comportamento correspondem a mais de 45% das mais de 5.000 denúncias recebidas em empresas brasileiras.

Diante desse cenário, nas palavras de Edilaine Daniel, empreendedora social e professora de Pedagogia e Teologia na FAEP, “é tempo de iluminar as sombras, de desafiar o status quo e construir espaços onde a segurança e o respeito são inabaláveis”. Por isso, no dia 2 de dezembro, a partir das 10h, a educadora ministrou na FAEP uma palestra com o tema: “Combatendo o Assédio: construindo um ambiente seguro”.

A professora não trouxe apenas uma abordagem teórica, mas uma chamada à ação para a construção de um ambiente onde o respeito seja a norma e o assédio seja uma relíquia do passado. Na ocasião, Edilaine desvendou estratégias eficazes para prevenir o assédio, criar espaços seguros e oferecer apoio às vítimas. “Trata-se de um convite para todos nós, enquanto sociedade, desafiarmos as normas, construirmos ambientes seguros e apoiarmos uns aos outros na luta contra o assédio.”

Ao longo da palestra, também foram explorados temas como assédio moral e sexual, gestão por injúria, agressões pontuais e comportamentos inadequados. A educadora trouxe à luz não apenas os desafios enfrentados pelas vítimas, mas também as responsabilidades das instituições em criar ambientes que rejeitem e combatam ativamente o assédio. “Um ambiente contaminado por essas práticas não apenas prejudica a empresa, mas principalmente seus funcionários, as principais vítimas dessas ações. Empresas que toleram o assédio moral correm o risco de enfrentar processos judiciais e danos à sua reputação, além de impactos negativos na produção e retenção de talentos”, afirma.

Por isso, a educadora da FAEP destaca a importância das empresas adotarem medidas preventivas: “Em tempos de redes sociais, estamos presenciando casos de assédio moral que afetam a imagem das empresas. É crucial que as organizações criem mecanismos e políticas claras para a prevenção e combate ao assédio moral, promovendo uma cultura de paz, respeito e empatia.”

Edilaine não se limita ao ambiente acadêmico; ela é conhecida por seus projetos sociais voltados para o mercado de trabalho e educação. Entre eles, destaca-se o “Quebrada Atualizada”, realizado em parceria com a FAEP, que oferece educação básica para jovens e adultos, destinando uma porcentagem das vagas a mulheres vítimas de violência doméstica. Esse projeto visa proporcionar oportunidades educacionais e apoio para que essas mulheres conquistem independência por meio dos estudos e inserção no mercado de trabalho.

Inclusive, é por meio da conscientização, que a educadora visa combater problemas ainda tão agravantes como a violência e o assédio e, por isso, destaca a importância da realização de eventos como o que aconteceu no dia 2 de dezembro.

Por Mariana Mascarenhas

Assessora de Imprensa da FAEP

[ SIGA ]

[ CONTATO ]