Trabalho, foco e produtividade em tempos de COVID-19

  • Categoria :Destaques
  • Data :29 / junho / 2020

Trabalho, foco e produtividade em tempos de COVID-19

Trabalho, foco e produtividade em tempos de COVID-19

 

Por Adilson do Nascimento Pereira, professor dos cursos de Graduação em Redes de Computadores e Sistemas para Internet da FAEP

Ao longo dos últimos 3 meses recordes de uso de internet estão sendo batidos e, o que já era um item essencial, agora se tornou indispensável.

Têm sido muitos os desafios impostos pelo COVID-19. Muitas empresas dispensando funcionários, muitas pessoas já priorizando o que pagar, pois já não se sabe mais o que fazer. Tudo isso sem planejamento prévio.

As principais expectativas eram em torno de como seria o trabalho, se todos teriam foco e consequentemente produtividade nessa trajetória de isolamento social. As empresas e trabalhadores buscando soluções para que isso seja uma realidade em meio a essa crise.

Todos os tipos de negócios buscam driblar o atual momento para se manter vivos, inovando na forma de entrega de seus produtos e/ou serviços, não deixando de fazer negócios. As mudanças significam muitas vezes a oportunidade de fazer o diferente, a oportunidade de entregar mais do que entregavam.

Você pode estar em crise por diversas razões neste momento, por uma redução salarial, perda de emprego, mudanças repentinas na forma de fazer as coisas, com o redesenho do seu trabalho, mas, os problemas não podem superar às soluções.

Nossos dias eram agitados, todos os dias enfrentamos trânsito, atrasos ocorriam, tínhamos risco de sofrer um assalto em razão de estar no trânsito, no trajeto do ônibus, metrô/trem sempre cheios, sem falar em filas que no fim, faziam dos nossos dias uma grande loucura. Alguns tinham alguns privilégios, de repente faziam aquela caminhada matinal, ou até uma academia, em fim, várias formas de se locomover pela cidade, bicicleta, patinete, skate, a pé, por fim, esse é o retrato de uma vida considerada normal.

Essa correria toda, se estende para sala de reuniões nos escritórios, na linha de produção em fábricas, em todos os setores e as “dores de cabeça” são constantes…

Com as crianças, a rotina pesada com múltiplas preocupações, horários escolar, o lanchinho, a roupa, o tênis do seu(a) filho (a), a lição de casa, e também aquela reclamação pois se seu filho aprontou na escola, certamente chegará também, em fim, faz falta não é? Que luta era para sair de casa dentro de um horário certo, ufa… (mas faz falta).

No fim de um dia “pesado”, no comum geralmente a noite, novamente trânsito, stress, riscos, ônibus cheio, etc… Dá saudades? De ver pessoas… Do direito de ir e vir sem preocupações… (trânsito e transporte público não né?).

Para muitos, tem ainda que continuar após o trabalho, pois parece estar apenas no começo, por que tem que ir para a faculdade. O engraçado é que no translado para esses compromissos, têm muitos bares cheios, happy hours todos os dias, parece até que só você tem aquela responsabilidade de ir para as próximas etapas. Mas a vida é assim, o negócio é superar e seguir em frente… Ser forte!

Por fim, após toda essa rotina, o negócio é tomar um banho, comer algo leve e ir para cama, afinal, no dia seguinte tem mais… 

Esse era considerado um cenário de um dia “normal” (óbvio que tem dias piores e/ou melhores que esse), mas só quis resgatar um pouquinho de como era há uns 3 meses atrás.

Na ocasião o Coronavírus ainda era uma realidade na China, e logo após o carnaval, quando o país começa a engrenar, surge o primeiro caso aqui em São Paulo… (e o resto da história, vocês já conhecem). Contudo, nossas vidas mudou de cabeça para baixo, não é mesmo? Os números eram assustadores em países Europeus e nos EUA (imaginávamos como seria aqui)…

Agora é hora de pensar com calma, ver possibilidades, ver as saídas para suportar esse momento caótico, mas sendo o mais assertivo possível. Muitas barreiras surgirão, mas todas devem ser suportadas…

No começo ficamos em uma situação, cujo ninguém sabia o que fazer diante do que estava acontecendo e os resultados não eram nada bons.

A ordem agora é mudar, melhorar, pensar diferente, enxergar novas oportunidades, sair do conforto, ver novas chances de sobrevivência, fazer do problema uma oportunidade.

Agora, conseguem parar e pensar, se não fosse a tecnologia, o que seria de todos nós? Conseguem se imaginar sem? Um mundo de oportunidades surge com a tecnologia…

Das mudanças, citamos os hábitos (desde os higiênicos, convívio familiar, forma de estudar chegando até nas entregas de resultados). O uso massivo das tecnologias (Videoconferência, bate papo, e-mails, redes sociais) entre outros.

Algumas palavras começam a fazer mais sentido (Produtividade, resiliência, inovação, processos). Novas competências são necessárias, sendo para as empresas e seus colaboradores. E quem não se desenvolveu? Quem não se preocupou com as “novas competências”? Quem não treinou? Quem  não faz ideia por onde começar? Estão pagando o preço nos dias atuais não é mesmo? 

Cabe para ambos (Empresas e colaboradores) acompanhar a evolução e tendências  para não ficar para trás, no nosso exemplo aqui na FAEP, a virada de chave foi em uma semana, com impacto mínimo para funcionários e alunos, e tudo foi acontecendo de forma normal. Estávamos preparados.

O conservadorismo é deixado de lado, é nessa hora que temos que ter coragem e sair do modelo tradicional de fazer as coisas, há muitos anos temos a possibilidade de desempenhar estudos diversos de casa, na modalidade EAD, hoje, mantemos e melhoramos isso com as aulas ao vivo, todos na mesma sala virtual, mas cada um na sua casa. 

Em meio a tudo isso, descobrimos que temos nossa importância, somos capazes, aprendemos rápido, vimos que trabalhar sob pressão é uma realidade que não é de hoje. A entrega de resultados não é de hoje que existe isso, já trabalhávamos em casa há muitos anos. Agora sei o que é “foco”, pois produzo muito mais em casa. Não é tão ruim fazer “home office”(exceto para mulheres). Grandes oportunidades surgem, possibilidades de enxergar opções de qualificações via EAD, empreendedorismo, compartilhamento de boas práticas (Eu faço assim, vou testar do seu jeito), por fim, mais valorização nas relações interpessoais.

Nossos dias tem sido trabalhar de casa, ser produtivo de modo diferente, preocupados com o emprego, família, casa, almoço, jantar e, administrar horários tem sido um grande desafio.

Contudo, as empresas abrem novas frentes, no sentido de dar condições às áreas funcionais para não deixar o negócio parar. Houve redesenho de processos (a forma de fazer tem as vezes que mudar). Demanda tecnológica crescente (maior olhar para área que muitas vezes é considerada um custo, passando a ser investimento). É o momento em que  problemas e oportunidades surgem. São evidenciados aqueles que não estavam muito envolvidos com os negócios (falta de produtividade, engajamento). Dão oportunidades àqueles que buscaram ter competências que julgavam ser importantes (antes da crise, cursos diversos e suas aplicações práticas).

Nossos dias atuais tem sido no escritório muitas vezes improvisado em casa, a palavra “nuvem”, quando falamos em tecnologia, foi incorporada no dialeto das pessoas. Lembramos que o uso de tecnologia pode ser vital para manter todos no caminho certo, mas é importante acertar no básico, e quando pensamos em trabalhar de casa, temos que ter alguns cuidados necessários:

  • Local apropriado para montar seu escritório, com cuidados ergonômicos para suportar a jornada de trabalho diário;
  • Serviço de internet estável;
  • Serviços empresariais na nuvem, muitas vezes Software como serviço (SaaS).
  • A comunicação centralizada (fonte única de comunicação);
  • Treinamentos em ferramentas de produtividade tem que estar em dia;
  • A disseminação de melhores práticas tem que ser incorporada no dia a dia.

Bem vindo(a) ao novo!!!