Como escolher e consumir pescados e frutos do mar

  • Categoria :Blog - Gastronomia
  • Data :16 / abril / 2019

Como escolher e consumir pescados e frutos do mar

Texto adaptado por Sandra Zarpelon

 

  Fonte: https://novodianoticias.com.br/2019/04/veja-como-evitar-riscos-ao-comprar-peixes-e-frutos-do-mar/

 

Como em todas as festas que reúnem famílias em volta de uma mesa, na Páscoa, uma preocupação recorrente é o cardápio da Sexta-feira Santa. É nessa época que aumenta o consumo de peixes, frutos do mar e os ovos de chocolates. Mas é preciso estar atento a alguns cuidados na hora de escolher e conservar esses alimentos para prevenir intoxicações alimentares.

Além dos cuidados na hora da compra, alimentos perecíveis como carnes, peixes e laticínios, exigem um cuidado maior ao serem armazenados em casa.

Segundo as recomendações da Vigilância Sanitária os alimentos congelados devem ser mantidos sob congelamento até o dia ou a véspera do consumo, cuidando para que sejam descongelados dentro da geladeira, nunca em cima da pia. À temperatura ambiente, os alimentos estão mais vulneráveis à proliferação de bactérias. Se estiverem frescos, os alimentos devem ser mantidos na geladeira até serem consumidos.

No caso dos peixes secos e salgados, como o bacalhau, eles devem ser conservados em local fresco e transferidos para o refrigerador durante o processo de dessalgar.

Entre os frutos do mar, moluscos bivalves (ostras, mariscos, vieiras e berbigões) são os que oferecem maior risco ao consumidor, pois são animais filtradores que se alimentam de algas microscópicas e material em suspensão existentes na água onde são cultivados. O importante a ser considerado na hora da compra é a procedência desses alimentos para garantir sua qualidade. Devem ser de empresas idôneas e que trabalhem sob condições sanitárias adequadas conforma às legislações sanitárias pertinentes.

Às vezes, sinais de contaminação não estão evidentes. Podem ser mascarados através de produtos químicos como conservantes. Lembrando que temos que considerar que toda a cadeia pertinente ao produto, ou seja, desde a pesca ou criação, sua conservação durante processamento, transporte e no ponto de venda, devem seguir os procedimentos adequados à manipulação desses alimentos. As bactérias são invisíveis a “olho nu”, não sabemos quais as quantidades e se estão se proliferando dentro dos alimentos.

Outra delícia muito consumida na época da Páscoa são os ovos de chocolate. Quanto a eles, a dica é, se precisar armazenar, que seja em local fresco ou até mesmo na geladeira. O mais importante, no entanto, é observar a data de validade.

Dica importante

As festas familiares costumam ter mesas fartas. O ideal, no entanto, é preparar a quantidade adequada para que todos fiquem satisfeitos sem sobrar muita comida. E logo após a refeição, guardar os alimentos em local apropriado. Lembrando que alimentos muito manipulados, falar sobre os alimentos à mesa são pontos de contaminação a serem considerados no momento de guardar as sobras. Por isso a importância de guardar em seguida na geladeira o restante da comida.

Intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar acontece quando ingerimos alimentos ou bebidas contaminados com bactérias, parasitas e/ou vírus. Os sintomas geralmente afetam estômago e intestinos. O mais comum é a diarreia, podendo ocorrer náusea, vômitos, dor abdominal, cólica e febre. Com menos frequência pode haver fraqueza, dormência, confusão ou formigamento na face, mãos e pés.

Em crianças e idosos, os sintomas podem durar mais tempo e a intoxicação gerar complicações, havendo o risco de morte. Isso também pode acontecer com mulheres grávidas e pessoas que sofrem comprometimento do sistema imune.

 Evite intoxicações alimentares seguindo essas orientações:

  • Lave bem as mãos com água morna e sabão antes e depois de manusear ou preparar alimentos. Use água quente e sabão para lavar os utensílios e outras superfícies que você utiliza para cortar alimentos
  • Mantenha os alimentos crus separados de alimentos prontos para o consumo.
  • Cozinhe os alimentos a uma temperatura segura, isso garante que os organismos nocivos na maioria dos alimentos não irá sobreviver.
  • Refrigerar ou congelar alimentos perecíveis prontamente (ou até duas horas após comprá-los).
  • Não descongele os alimentos à temperatura ambiente. A maneira mais segura para descongelar alimentos é na geladeira. Se for usar o micro-ondas, use o “degelo”. Manter água fria corrente sobre a comida também descongela com segurança.
  • Jogue o alimento fora em caso de dúvida. Se você não tem certeza se um alimento foi preparado, servido ou armazenados de forma segura, descarte-o. Alimentação deixada à temperatura ambiente por muito tempo pode conter bactérias ou toxinas que não podem ser destruídas por cozimento. Mesmo que ela cheire bem ou tenha boa aparência, pode não ser seguro comer.

Dicas para compra de peixes e frutos do mar

Bacalhau

Verifique se a posta não apresenta odor forte ou está úmida. Sinal de que o acondicionamento não foi feito corretamente e a qualidade do peixe pode ter sido comprometida.

Peixes Frescos

A primeira análise deve ser olfativa, já que peixe fresco não cheira forte. Tem que lembrar maresia, água do mar. Se está com odor forte é porque está entrando em decomposição. Analisar a cor da guelra – não tenha medo de abrir – é o próximo passo. Ela deve estar ainda bem vermelha e brilhante, lembrando a cor do atum fresco.

Esse brilho também precisa aparecer nos olhos, que não devem estar nublados. Por fim, aperte a barriga do peixe com o dedo e confira a firmeza da carne. Ela deve ceder com a pressão e voltar ao estado inicial logo em seguida. 

Polvos e Lulas

Estar atento a cor e a textura porque dizem muito sobre o frescor do fruto do mar. Pele enrugadas, soltando facilmente ao toque ou com muita viscosidade são sinais de alerta na compra desses moluscos. 

Camarão

Camarão sem rabo, sem cabeça ou com a casca solta é sinal de decomposição. As patas devem estar firmes ao corpo. Outra dica importante na hora de comprar: cheiro forte e ácido, que lembra amoníaco, também não é bem-vindo. Assim como o peixe, camarão fresco tem cheiro de maresia. Portanto, use o olfato para avaliar.

Mariscos, vôngoles, ostras e mexilhões

Devem estar sempre em ambiente resfriado e com a concha totalmente fechada. No caso de consumir ostras frescas, abra-as apenas segundos antes de ir à mesa. Mariscos, vôngoles e mexilhões que não abrirem após serem cozidos em água ou vapor devem ser descartados. Forçar a abertura pode não ser recomendado, indicando que o produto está estragado.

 

Siga essas dicas e boa Páscoa!!!!