A digitalização do pequeno varejo

  • Categoria :Destaques
  • Data :5 / agosto / 2020

A digitalização do pequeno varejo

Por Ricardo Rodrigues, diretor do aplicativo Perto Daqui

O consumo mundial nunca mais será o mesmo após a pandemia do coronavírus. Se antes pequenos comerciantes de bairro já sentiam a necessidade de digitalizar seus negócios, oferecendo seus produtos e serviços pela internet ou aplicativos para celular, com o fechamento obrigatório do comércio, essa necessidade passou a ser questão de sobrevivência.

 

Para tentar minimizar as consequências da queda de faturamento e até o fechamento de vários comércios durante a quarentena, surgiram várias iniciativas de incentivo ao consumo local, o que, na verdade, já era uma tendência mundial. No Japão, o varejo de vizinhança já crescia impulsionado pelo envelhecimento da população. Na Itália, leis privilegiam pequenos comércios. Na América Latina, a palavra-chave é “proximidade”. E, no Brasil, as buscas por lojas e estabelecimentos “perto” cresceu 440% só em 2016*.

 

Mas como digitalizar comércios de bairro de forma rápida, simples e acessível, sem a necessidade de instalação de nenhum sistema ou equipamento, sem precisar gerenciar redes sociais, sites, e-commerces e sem nenhuma experiência no mundo digital? Em Brasilândia e Taipas a resposta veio através do aplicativo para celular PertoDaqui.

 

O PertoDaqui mostra ofertas de pequenos comerciantes e prestadores de serviço em um raio de 3 Km do usuário, sendo uma forma de incentivo ao consumo local, fomentando assim o desenvolvimento econômico e social de microrregiões durante e pós-pandemia.

 

O grande diferencial do app é o seu sistema de divulgação onde um negócio impulsiona o outro. Isso acontece porque são mais de 20 segmentos diferentes no mesmo app abrangendo de minimercados a farmácias, faculdades, papelarias, petshops, lojas de calçados, lojas de roupas, artigos para casa e decoração, eletroportáteis, eletrônicos, ferramentas, iluminação, material de construção, perfumarias, imóveis, autopeças, consultores de venda, instrumentos musicais e serviços diversos, assim, quando um usuário acessa para ver as ofertas ou produtos de um determinado comércio acaba sendo impactado por todos os outros.

 

Com a plataforma, pequenos empreendedores e comerciantes locais que, até então, só vendiam pessoalmente ou em suas lojas físicas, em instantes, passam a oferecer seus produtos e serviços no celular de clientes e não clientes, podendo concretizar a venda por telefone, mensagem de texto ou pelo aplicativo, sem a necessidade de nenhum treinamento especial.

 

Os usuários, por sua vez, têm acesso fácil ao comércio da sua região podendo encontrar o produto ou serviço que deseja por segmento, categoria, anunciante, geolocalização, palavra-chave ou código de barras. Encontrando o que procura, ele pode enviar uma mensagem de texto para o anunciante, ligar no seu televendas, pedir pelo aplicativo combinando a entrega ou retirada, traçar a melhor rota até a loja.

 

A novidade já está disponível na Playstore do Google para celulares com sistema operacional Android e, em breve, estará na AppStore para quem tem IOS. Mais informações sobre o app no site: pertodaqui.app

 

*Fontes: 1. Kantar WorldPanel 14/10/15. 2. Harvard Business Review Brasil 03/11. 3. Planet Retail – Deloitte. 4. Euromonitor 26/01/15. 5. Painel Google 2018.

 

FAEP – Faculdade de Educação Paulistana – A 1ª Faculdade da Parada de Taipas