24/06 – DIA INTERNACIONAL DO LEITE

  • Categoria :Blog - Gastronomia
  • Data :24 / junho / 2020

24/06 – DIA INTERNACIONAL DO LEITE

Por Sandra Zarpelon, professora e coordenadora do curso de Gastronomia da FAEP

 

A data foi criada em 2001 pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO) com o objetivo de alertar a população sobre a importância dos lácteos para a manutenção de uma alimentação equilibrada.

Além do seu valor nutricional que é indiscutível e sendo muito importante o seu consumo nas diferentes fases da vida, o leite tem uma grande importância em alguns preparos culinários. Rico em cálcio e fonte de proteínas, ajuda na formação dos músculos e na manutenção dos ossos.

Segundo a chefe de cozinha e pesquisadora Ana Luíza Trajano, em seu livro Mistura a gosto (2015), o leite está presente no cotidiano de boa parte dos brasileiros desde o café com leite que inaugura as refeições do dia. Manteiga, iogurtes, queijos, cremes e outros derivados do leite de vaca e de outros tipos de leite como o de cabra e de ovelha , abastecem as cozinhas de todos os países do mundo. Na gastronomia, entra no preparo de sopas, pães, doces . Na confeitaria é base de chantili e para o creme de confeiteiro.

O gado leiteiro foi introduzido no Brasil pelos portugueses, no século XVI, e hoje concentra-se na região sudeste, mas também há criações no Sul e no Centro Oeste. Hoje são vários os tipos de leite disponíveis no mercado e cada um apresenta suas principais características – nutricionais, de sabor e de aroma.

Leite integral é o nome dado para o leite de vaca que não passa por nenhum processo de remoção de gordura, sendo consumido, portanto, com a
grande parte de suas características nutricionais originais. Esse é o tipo de leite mais consumido do mundo. O leite semidesnatado é o leite de vaca que passa por um processo de remoção de pelo menos 50% do volume de gordura total encontrada nesse alimento. O leite desnatado é o leite de vaca que passa por um processo de remoção total das gorduras encontradas nesse alimento, sendo considerado portanto a versão menos calórica.

Quem tem o hábito de comprar leite muito provavelmente já viu nos rótulos uma classificação para cada tipo dessa bebida disponível. Além de serem classificados como integrais, desnatados ou semidesnatados, os leites também podem ser classificados como tipo A, B e C. O leite tipo A provem de um único rebanho, ordenhado mecanicamente (sem contato manual), refrigerado imediatamente e pasteurizado na mesma fazenda, processo que reduz a quantidade final de microrganismos. O leite tipo B pode ser obtido de rebanhos diferentes e sua ordenha pode ser mecânica ou manual. É transportado (sob refrigeração de até 4°C) antes de ser pasteurizado em outro local. Já o leite tipo C tem a mesma origem e tipo de ordenha do leite tipo B, mas não é refrigerado ao ser transportado, o que acaba elevando a quantidade de microrganismos presentes. Normalmente esse tipo de leite é usado para a produção de leites de caixinhas que sofrem uma pasteurização por “ ultra high temperature – uht ”, e depois são enviados em caixas do tipo tetra pak (feitas de camadas de papel alumínio, plástico e papelão) sem o uso de conservantes, e apresenta prazo de validade mais extenso (de alguns meses).

Pensando nos cuidados necessários na hora de comprar o leite, é necessário que o consumidor tenha em mente a segurança do produto. Somente
o leite que passou por tratamento adequado na indústria e foi oficialmente inspecionado é seguro para o consumo. Isso pode ser identificado através de um selo de inspeção federal, estadual ou municipal na embalagem do produto.

E voltando para o assunto da gastronomia podemos considerar que na muitos ingredientes necessitam da mistura completa dos mesmos e uma boa homogeneização, levando à consistência adequada ao seu preparo. O leite atua agregando os ingredientes sólidos, trazendo textura, maciez e umidade necessárias. As proteínas do leite contribuem para a sua ação emulsificante e hidratante proporcionando uma absorção mais rápida de água pela massa; além disso, a presença do leite aumenta o valor nutricional das receitas. Também temos os derivados de leite, como iogurtes e queijos utilizados em preparações doces e salgadas, que conferem consistência, sabor e maciez, devido a presença de gordura.

Portanto conclui-se que o seu uso abrangente em diferentes preparações e por serem de fácil acesso pela população, o leite e seus derivados possuem grande importância na cozinha. Saúde!!!

 

Dicas de receitinhas feitas com leite

Maionese de Leite Temperada
Ingredientes:
150 ml de leite integral em temperatura ambiente
1 dente de alho
1 colher de chá de sal
1 colher de café de orégano
3 ramos de salsinha
Óleo quanto baste

Modo de preparo: Coloque todos os ingredientes menos o óleo no liquidificador. Bata em potência máxima e vá adicionando um fio de óleo bem ao centro das lâminas, batendo até que engrosse. A quantidade não é certa, você deve ir adicionando até observar que a maionese ficou cremosa.

Dica: É importante que esse fio de óleo seja fino, para que seja mais facilmente incorporado nos ingredientes.

 

Receita de Pudim de Pão
Ingredientes
3 pães francês
4 ovos
600 ml de leite
1 colher de sopa de manteiga
2 xícaras e meia de açúcar

 

Modo de preparo: Pegue uma xícara de açúcar e leve ao fogo. Mexa até o açúcar derreter e virar um caramelo. Quando estiver pronto, coloque o caramelo no fundo de uma forma de pudim. Bata o restante dos ingredientes no liquidificador até obter uma massa homogênea. Despeje a massa na forma com o caramelo, coloque em banho maria e leve ao forno na temperatura média de 180° por, aproximadamente uma hora e meia. O pudim estará pronto quando você enfiar um palito ou garfo no pudim, e ele sair limpo.

 

Aproveite nossa condição especial e matricule-se no Graduação em Gastronomia da FAEP!!!